Confeitaria belga distribuída na Região

A firma madeirense ‘António N. Nóbrega – Indústria e Comércio Alimentar’ promoveu ontem no Funchal uma degustação de produtos de confeitaria e pastelaria da marca belga ‘Vandemoortele’, que integrou novas variedades, agora à disposição na Região Autónoma.

O evento contou com a participação de algumas dezenas de profissionais dos sectores de hotelaria e similares de hotelaria da Região Autónoma, potenciais alvos da acção promovida pela empresa madeirense que desde o ano passado representa a fábrica belga e introduziu os seus produtos no mercado regional.

António Nóbrega disse ao DIÁRIO que as vendas da nova gama de produtos estão a decorrer bem, sobretudo na hotelaria, onde encontrou um mercado potencial. E se mais não vende, é porque esses estabelecimentos têm os seus quadros próprios de pastelaria e um fabrico de receitas próprias que interessa preservar.

Ontem os profissionais madeirenses foram confrontados com uma nova gama de bolos, sobretudo cremosos e com recheios variados de frutas, que deixaram a melhor opinião entre os que aceitaram o convite de António Nóbrega para uma tarde de degustação no Hotel Four Views Monumental Lido, em que esteve também disponível um ‘buffet’ de outros acepipes, montado pelos chefes Octávio Freitas e José Mendonça.

O ‘buffet’ de pastelaria belga foi coordenado pelo chefe hispano-italiano Tomaz Calderon que se deslocou à Madeira para esta acção de promoção dos produtos da ‘Vandemoortele’, que também fez uma breve explicação sobre os novos produtos, destacando sobretudo a qualidade que os caracteriza e o prestígio da marca em toda a Europa. Esta marca é actualmente a maior produtora europeia de ‘donnuts’, que os fabrica com diversos sabores e recheios.

É grande a variedade de produtos que a marca belga proporciona no mercado regional e que está também ao alcance do público em geral, quer através da loja de vendas da ‘Madeira Cash’, no Porto Novo, quer da pastelaria ‘Nhami’, no edifício ‘Oudinot’, com entrada pela Rua da Infância.

Actualmente António Nóbrega importa um contentor de 40 pés em cada 45 dias. Uma maior divulgação dos produtos poderá aumentar a importação, bem como uma maior ocupação hoteleira poderá potenciar o negócio. Os produtos viajam congelados e podem ser conservados muitas semanas sem qualquer perda de qualidade ou frescura.